Associação reitera pedido de redução dos tributos sobre o óleo diesel

Sem a redução dos impostos, entidade convocará paralisação geral dos caminhoneiros

A Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) protocolou nesta segunda-feira (14) ofício na Presidência da República e na Casa Civil para cobrar medidas efetivas do Governo diante do aumento constante das refinarias e dos impostos que recaem sobre o óleo diesel.

As recentes paralisações feitas em diversas rodovias do país refletem o desespero e a insatisfação da categoria, que não têm seus pleitos ouvidos pela Governo.
Além da correção quase que diária dos preços dos combustíveis realizado pela Petrobrás, que dificulta a previsão dos custos por parte do transportador, os tributos PIS e Cofins, majorados em meados de 2017 com o argumento de serem necessários para compensar as dificuldades fiscais do Governo, são o grande empecilho para manter o valor do frete em níveis satisfatórios.

Como a utilização de veículos movidos a diesel é grande no Brasil, a redução da tributação sobre o combustível pode resultar em queda expressiva nos custos de produção agropecuária, no preço do frete dos alimentos e nas tarifas do transporte em geral, o que beneficiará diretamente milhares de cidadãos brasileiros.

Portanto, a Abcam sugere que o Governo Federal crie um sistema que pode ser:

- Um Fundo de Amparo ao Transportador Autônomo destinado ao custeio de um programa para aquisição de óleo diesel, sendo a sua principal fonte de recursos composta por qualquer contribuição que o governo federal achar conveniente, ou um
- Sistema de subsidio para aquisição de óleo diesel por parte dos transportadores autônomos.

Diante do exposto, a Abcam informa que caso não tenha o apoio do Governo Federal, uma PARALISAÇÃO GERAL, EM NÍVEL NACIONAL, SERÁ CONVOCADA.

 

Para ler o documento na íntegra, clique aqui.

 

Assessoria de Imprensa da Abcam

 

Assine a nossa newsletter

*campos obrigatórios

Projetos