Greve: caminhoneiros mantêm bloqueios em estradas do país nesta terça

Apesar de a presidente Dilma Rousseff ter sancionado, sem vetos, a nova Lei dos Caminhoneiros na tarde desta segunda (2), que faz parte de acordo entre governo e categoria para o desbloqueio de rodovias no país, dois estados ainda mantêm interdições nas estradas nesta terça-feira (3): Rio Grande do Sul e Santa Catarina. No Paraná, há seis pontos de manifestação, mas sem bloqueio de rodovias.

No Distrito Federal, um grupo de caminhoneiros de vários estados ocupava, às 7h40 desta terça, o Estacionamento do Estádio Nacional de Brasília. A arena fica no centro da cidade e próximo à Esplanada dos Ministérios.

Uma nova reunião foi marcada entre caminhoneiros e empresários, com mediação do governo, para o dia 10 de março. O encontro servirá para que as duas partes cheguem a um acordo sobre uma tabela que calculará os novos preços dos fretes.

Em nota divulgada no domingo (1º), o governo federal afirmou que ampliará a presença de policiais nas estradas para assegurar o cumprimento de decisões judiciais que determinaram o desbloqueio de rodovias.

Paraná

A terça-feira (3) amanheceu sem pontos de interdição nas rodovias federais e estaduais do Paraná. Os caminhoneiros que bloqueavam as rodovias federais entre a tarde e noite de segunda-feira (2) levaram os veículos para postos de combustíveis localizados na beira das estradas ou estacionaram em recuos.

No entanto, ainda há seis pontos onde caminhoneiros fazem algum tipo de manifestação. Nestes casos, conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os manifestantes obrigam caminhoneiros que não querem aderir ao movimento para os locais onde o protesto está concentrado.

Rio Grande do Sul

Os caminhoneiros voltaram a bloquear rodovias do Rio Grande do Sul na manhã desta terça-feira (3). De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), as manifestações atingiam 15 trechos de sete estradas federais por volta das 7h.

Em pelo menos seis delas não há bloqueios aos motoristas. No restante, veículos de carga estão sendo obrigados a parar.

Nesta segunda, um dos protestos de caminhoneiros no Rio Grande do Sul terminou em confronto entre manifestantes e homens da Tropa de Choque da PRF e da Força Nacional de Segurança na BR-116, em Camaquã, no sul do estado. Uma pessoa foi presa.

Mais cedo, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) teve que escoltar um comboio formado por 19 caminhões-tanque carregados de combustível para garantir o abastecimento. Cerca de 70% dos postos no interior do estado estão sofrendo com o desabastecimento, decorrente da paralisação dos caminhoneiros.

No domingo, foi enterrado o corpo do caminhoneiro atropelado durante um protesto em São Sepé. Ele tentava impedir a passagem de um caminhão na BR-392.

Santa Catarina

Caminhoneiros ainda mantêm trechos de rodovias bloqueados nesta terça-feira (3) em Santa Catarina, no 14º dia consectivo de protesto. As manifestações ocorrem em rodovias federais e estaduais.

Até as 6h, quatro trechos em rodovias federais estavam bloqueados e em outros 11 pontos em rodovias estaduais tinham manifestantes, mas o trânsito não era obstruído.

Sem ração, animais estão morrendo em frigoríficos e propriedades rurais do estado. Por causa da paralisação, os ingredientes para fazer o alimento dos animais não chegam aos produtores, afirma o Sindocato das Indústrias e Derivados de Carne do estado.

Fonte: G1

aaabcamAbr2019 cadastramento caminhoneiros

Busca no site

Assine a nossa newsletter

*campos obrigatórios

Projetos





logo despoluir