PRF divulga dados de acidentes envolvendo caminhões

A pedido da Associação Brasileira dos Caminhoneiros, a Polícia Rodoviária Federal – PRF- divulgou os dados estatísticos de acidentes de 2017 que envolvem caminhões. De acordo com o órgão os casos somam quase 45 mil. 

Destacam-se os Estados de Minas Gerais com 7.366 casos, seguido do Paraná, que registrou 5.848 casos e Santa Catarina, com 4.413 casos. Os Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul e Bahia também registraram uma grande quantidade de acidentes envolvendo caminhões.

De acordo com a Assessoria de Comunicação da PRF a falta de atenção é o principal motivo para a ocorrência dos acidentes. Segundo o órgão, o uso de telefones móveis durante a direção, é fator condicionante para a diminuição de atenção no trânsito. 

O sono também é responsável por 6,9% dos acidentes, um problema bastante comum para os transportadores rodoviários. "Conduzir com sono não acontece exclusivamente à noite, a qualquer hora do dia o cansaço pode atacar e causar acidentes graves. À noite a probabilidade de adormecer ao volante é agravada pelas condições de iluminação e tráfego reduzido na estrada”, explica a Asessoria. 

Defeitos mecânicos, velocidade incompatível com a via e a falta de uma distância segura do veículo da frente também estão entre os principais motivos deste tipo de acidente. 

Pleitos dos motoristas

De acordo com as pesquisas realizadas em 2017 pela CNT – Confederação Nacional do Transporte a má qualidade dos pavimentos se agrava com a falta de investimentos. E este vêm sendo um pleito constante não só por transportadores de cargas como por todos os cidadãos-motoristas do país.

Entretanto, para o presidente da Abcam, José da Fonseca Lopes, de nada adianta o poder público investir na manutenção das estradas e em ações de repressão às infrações se, numa postura individual, o motorista não dirigir com responsabilidade e zelo pela vida. 

“É preciso que todas as partes envolvidas cumpram a sua responsabilidade. O Estado, de prover a infraestrutura necessária e adequada para que o transporte rodoviário seja seguro e eficiente e o motorista, de dirigir com atenção, cautela e respeito às normas de trânsito. Só assim, deixaremos de perder tantas vidas nas estradas do país”, comenta Fonseca. 

 

Por Ascom/ Abcam

 

Assine a nossa newsletter

*campos obrigatórios

Projetos