Obrigatoriedade do exame toxicológico

Não é coincidência, o toxicológico garante a segurança de todos!

Leia mais...
Fux adia julgamento no STF sobre validade da tabela de frete

O ministro Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal), atendeu nesta 5ª feira (29.ago.2019) a pedido da AGU (Advocacia Geral da União) e...

Leia mais...
NOTA OFICIAL SOBRE TABELA DE FRETE E PARALISAÇÕES

A Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) tem acompanhado de perto as discussões vigentes nos órgãos...

Leia mais...
Polícia Civil realiza operação em combate a fraudes em exames toxicológicos

Exames eram vendidos para caminhoneiros usuários de rebite e cocaína. Operação foi deflagrada nos municípios de Estrela d’ Oeste, Fernandópolis,...

Leia mais...

aaabcamAbr2019 cadastramento caminhoneiros

palavra presidente

 

Palavra do Presidente

Órgãos de trânsito devem se preocupem com a segurança viária e com a qualificação dos condutores. Entretanto, não se pode aumentar ainda mais a burocracia e os custos para o motorista.

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) revogou a resolução que exigia curso e prova para renovação da carteira de habilitação bem como acabava com a prevalência das categorias, o que impediria, por exemplo, que motorista habilitado na categoria "E" conduzisse veículos da categoria "D", ou da categoria "D" também fosse habilitado na categoria "C".

É de se esperar que os órgãos de trânsito se preocupem com a segurança viária e com a qualificação dos condutores. Entretanto, não se pode aumentar ainda mais a burocracia e os custos para o motorista.

Durante a nossa movimentação para que a resolução não fosse aprovada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), tivemos a oportunidade de conversar com o Deputado Hugo Leal, que além de fazer parte da Comissão de Viação e Transporte da Câmara dos Deputados, também é presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito.

O Deputado entende que o Código de Trânsito Brasileiro traz elementos que permitem a interpretação de que existe a prevalência entre as categorias. Ele concorda, assim como nós, da Abcam, que é necessário melhorar a formação dos condutores, mas isso não pode ser algo que atinja os atuais habilitados, que devem ter os seus direitos preservados.

O setor de transporte já vem sofrendo com muitos problemas, como baixo valor do frete, estradas ruins e situação econômica desfavorável. Não pode ter que sofrer ainda com uma possível falta de mão de obra qualificada em razão do aumento da dificuldade para as pessoas se habilitarem.

Entendemos ser imprescindível a manutenção da segurança e a proteção do direito à vida. Entretanto, precisamos equacionar esse problema com o devido cuidado e razoabilidade.

Tenham a certeza de que nós, da Abcam, estamos atentos ao que está acontecendo em relação a este assunto e não vamos permitir que os atuais habilitados sofram qualquer restrição em suas habilitações.

Nosso compromisso com a segurança nas estradas, com a defesa da vida e com o direitos dos caminhoneiros permanece. Nossos caminhoneiros são fundamentais para o transporte de bens e serviços. E é por isso que continuaremos lutando pelos direitos da categoria. Não vamos permitir que os motoristas já habilitados tenham seus direitos suprimidos e que novos custos pesem no bolso do caminhoneiro

Captura de Tela 2018 06 19 as 10.18.18

Busca no site

Assine a nossa newsletter

*campos obrigatórios

Projetos





logo despoluir



Federações Parceiras

logo fecamSPLOGO MARCA FETAC 01Fecam RS